Angelina Jolie veste a filha como menino

Será que isso afeta a opção sexual da criança no futuro?
Por Redação
Angelina Jolie veste a filha como menino

Por Redação

Em entrevista à revista americana Vanity Fair, Angelina Jolie, mãe de seis filhos, entre eles três adotivos, fez um comentário polêmico sobre sua filha mais nova, Shiloh, de 4 anos. Segundo a mulher de Brad Pitt, a menina quer ser um menino e, por esse motivo, os pais teriam cortado o cabelo dela bem curto. Angelina completa dizendo que Shiloh pensa que é um dos irmãos. Tendo uma mãe bissexual assumida, será que a criança já poderia apresentar uma tendência homossexual já na infância?

O consenso é de que, a princípio, as preferências de Shiloh pelo universo dos meninos não significa absolutamente nada, já que, segundo a psicóloga Adriana Nunan, crianças nessa idade gostam de experimentar tudo. "Da mesma forma que crianças brincam de casinha, de ser astronauta ou bombeiro, existem outras que gostam de se vestir de menino ou menina. Isso são mecanismos que a criança cria para lidar com o mundo", explica ela, que ainda assim aconselha: "Só é preciso estar atento se o comportamento começar a aumentar e a persistir. Nesse caso, seria bom procurar um psicólogo infantil especializado em sexualidade para descobrir o que está acontecendo".

Veja aqui as fotos de Shiloh

Para a psicanalista Ângela Vilela, membro titular da Formação Freudiana, a atitude tomada pelo casal hollywoodiano é a mais aconselhável: deixar a criança à vontade para fazer o que considerar melhor, dentro do limite, é claro, do apropriado. Apesar disso, ela pondera que a decisão da Angelina de cortar os cabelos da filha pode representar uma projeção pessoal e não uma vontade da criança.

"Se a Shiloh apresenta identificações mais fortes com a figura masculina, imagino, pelo universo em que vivem, que seus pais não se prendam às determinações que vêm da cultura e da sociedade. Parecem ter feito a escolha de dar à criança a chance de expressar o que ela supõe ser. Não sei a que ponto essa suposição ganha reforço se analisarmos uma frase como 'Nós cortamos o cabelo dela curtinho'. Qual o olhar que esses pais têm sobre essa criança? Ela simplesmente se identifica com o universo masculino porque ele é mais interessante ao olhar dela ou realiza projeções dos pais?", questiona Ângela.

Cuidado com a projeção dos pais

O passado e a história de vida paternos também podem influenciar as decisões dos filhos, segundo Ângela. "É sabido que a Angelina teve uma infância difícil e nenhuma criança escapa do inconsciente e dos desdobramentos da história de seus pais sobre elas. A forma como os pais lidam com a sexualidade dos filhos tem a ver com a própria sexualidade deles. Isso, é claro, afeta o imaginário e as fantasias que a criança tem de si mesma", observa.

Matérias Recomendadas